O Alto custo de um ego indomável | Universidade Babilônia – Ep.06 | Crônicast#006

O Alto custo de um ego indomável | Universidade Babilônia – Ep.06 | Crônicast#006

O Alto custo de um ego indomável | Universidade Babilônia – Ep.06 | Crônicast#006


Série: Universidade Babilônia – 06

#Crônicast #Daniel

SPOTIFY: https://spoti.fi/2DEyROJ



 

Baixe nosso PDF:

 

Seja nosso colaborador:

Filosofia de Babilônia = mundanismo = promover o EU, orgulho, egoísmo.
Hoje = nos concentrar em Nabucodonosor.
Iremos estudar a história de um homem que tinha muito para se gabar, que estava sentado no topo do mundo, mas por alguma razão, caiu rapidamente do topo, por causa de um ego indomável.
Nabucodonosor foi um homem implacável, responsável por mortes horrendas. Um homem que corta pessoas em pedacinhos e manda demolir suas casas se eles não fizerem sua vontade.
Curiosidade: O capítulo 4 de Daniel não foi escrito por Daniel. Foi escrito justamente por este homem impiedoso e cruel chamado Nabucodonosor. Como assim? Como um ímpio tem suas palavras incluídas em um livro santo como a Bíblia?
Bem, é o que o estudo de hoje irá nos mostrar. Preste muita atenção, pois o capítulo já começa contando o final desta história e já nos dá a resposta pra essa primeira indagação. Como pode um homem cruel e orgulhoso como Nabucodonosor, escrever um capítulo da Bíblia?
versos 1-3: “O rei Nabucodonosor, aos homens de todas nações, povos e línguas, que vivem no mundo inteiro: Paz e prosperidade! Tenho a satisfação de falar-lhes a respeito dos sinais e das maravilhas que o Deus Altíssimo realizou para mim. Como são grandes os seus sinais, como são poderosas as suas maravilhas! O seu reino é um reino eterno; o seu domínio dura de geração em geração.”
Como podemos ver, Nabucodonosor é um novo homem.
Sinais e maravilhas não foram prazerosos quando ocorreram, e nós já iremos ver por que.
Mas quando tudo se passou, ele viu que todas aquelas coisas horrorosas que se passaram com ele foram uma bênção e ele está feliz por ter passado por aquilo.
Então vamos ver o que ocorreu. Verso 4: “Eu, Nabucodonosor, estava satisfeito e próspero em casa, no meu palácio.”
Mais uma pequena interrupção antes de continuarmos. SATISFEITO e PRÓSPERO aqui podem muito bem ser traduzidos para nós como ZONA DE PERIGO.
Porque quando se trata de um ego indomável, não há lugar mais perigoso do que mediante a SATISFAÇÃO e PROSPERIDADE.
São em momentos assim que começamos a olhar ao redor e contemplar todas as coisas boas em nossa vida e iniciamos uma trilha rumo ao engrandecimento do EGO.

Versos 5-15: “Tive um sonho que me deixou alarmado. Estando eu deitado em minha cama, os pensamentos e visões que passaram pela minha mente deixaram-me aterrorizado. Por isso decretei que todos os sábios da Babilônia fossem trazidos à minha presença para interpretarem o sonho para mim. Quando os magos, os encantadores, os astrólogos e os adivinhos vieram, contei-lhes o sonho, mas eles não puderam interpretá-lo. Por fim veio Daniel à minha presença e eu lhe contei o sonho. Ele é chamado Beltessazar, em homenagem ao nome do meu deus; e o espírito dos santos deuses está nele. Eu disse: “Beltessazar, chefe dos magos, sei que o espírito dos santos deuses está em você, e que nenhum mistério é difícil demais para você. Vou contar-lhe o meu sonho; interprete-o para mim. Estas são as visões que tive quando estava deitado na minha cama: olhei, e ali diante de mim estava uma árvore muito alta no meio da terra. A árvore cresceu tanto que a sua copa encostou no céu; era visível até os confins da terra. Tinha belas folhas, muitos frutos, e nela havia alimento para todos. Debaixo dela os animais do campo achavam abrigo, e as aves do céu viviam em seus galhos; todas as criaturas se alimentavam da árvore. “Nas visões que tive deitado em minha cama, olhei e vi diante de mim uma sentinela, um anjo que descia do céu; e ele gritou em alta voz: ‘Derrubem a árvore e cortem os seus galhos; arranquem as suas folhas e espalhem os seus frutos. Fujam os animais de debaixo dela e as aves dos seus galhos. Mas deixem o toco e as suas raízes, presos com ferro e bronze; fique ele no chão, em meio à relva do campo’”. “Ele será molhado com o orvalho do céu e com os animais comerá a grama da terra.”
Pare por um instante para notar a súbita mudança no roteiro do sonho.
Até agora estamos lendo sobre uma árvore e o que vai acontecer com ela, e de repente, a forma como o anjo dá ordens muda para outro sujeito.
Versos 16-17: “A mente humana lhe será tirada, e ele será como um animal, até que se passem sete tempos.” “A decisão é anunciada por sentinelas, os anjos declaram o veredicto, para que todos os que vivem saibam que o Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e os dá a quem quer, e põe no poder o homem mais simples”.
Então o que temos até aqui, revelado no sonho, é que Deus quer mostrar que ele está no controle, e que ele coloca no poder quem ele quer, principalmente homens mais simples, pra ficar claro quem os colocou lá.
Versos 18-27: “Esse é o sonho que eu, o rei Nabucodonosor, tive. Agora, Beltessazar, diga-me o significado do sonho, pois nenhum dos sábios do meu reino consegue interpretá-lo para mim, exceto você, pois o espírito dos santos deuses está em você”. Então Daniel, também chamado Beltessazar, ficou estarrecido por algum tempo, e os seus pensamentos o deixaram aterrorizado. Então o rei disse: “Beltessazar, não deixe que o sonho ou a sua interpretação o assuste”. Beltessazar respondeu: “Meu senhor, quem dera o sonho só se aplicasse aos seus inimigos e o seu significado somente aos seus adversários! A árvore que viste, que cresceu e ficou enorme, e a sua copa encostava no céu, visível em toda a terra, que também tinha belas folhas e muitos frutos, na qual havia alimento para todos, abrigo para os animais do campo, e morada para as aves do céu nos seus galhos, és tu, ó rei! Tu te tornaste grande e poderoso, pois a tua grandeza cresceu até alcançar o céu, e o teu domínio se estende até os confins da terra. “E tu, ó rei, viste também uma sentinela, o anjo que descia do céu e dizia: ‘Derrubem a árvore e destruam-na, mas deixem o toco e as suas raízes, presos com ferro e bronze; fique ele no chão, em meio a relva do campo. Ele será molhado com o orvalho do céu e viverá com os animais selvagens, até que se passem sete tempos’. “Esta é a interpretação, ó rei, e este é o decreto que o Altíssimo emitiu contra o rei, meu senhor: Tu serás expulso do meio dos homens e viverás com os animais selvagens; comerás capim como os bois e te molharás com o orvalho do céu. Passarão sete tempos até que admitas que o Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e os dá a quem quer. A ordem para deixar o toco da árvore com as raízes significa que o teu reino te será devolvido quando reconheceres que os Céus dominam. Portanto, ó rei, aceita o meu conselho: Renuncia a teus pecados e à tua maldade, pratique a justiça e tenha compaixão dos necessitados. Talvez, então, continues a viver em paz”.
Após dar o diagnóstico do que iria acontecer, Daniel ainda dá um conselho ao rei.
“Rei, ainda dá tempo. Se você renunciar a seus pecados e sua maldade, se começar a praticar a justiça e a ser compassivo com os pobres, pode ser que Deus te devolva a paz.”
Pode ser que Nabucodonosor ficou atento a isso por um tempo, mas então a história continua:
Versos 28-30: “Tudo isso aconteceu com o rei Nabucodonosor. Doze meses depois, quando o rei estava andando no terraço do palácio real da Babilônia, disse: “Acaso não é esta a grande Babilônia que eu construí como capital do meu reino, com o meu enorme poder e para a glória da minha majestade”?”.
Pouco tempo depois, cerca de 1 ano depois, o rei disse uma das coisas mais estúpidas que alguém poderia dizer.
“Acaso não é esta a grande Babilônia que eu construí como capital do meu reino, com o meu enorme poder e para a glória da minha majestade”?”.
Isso pode parecer uma bobagem, mas nós veremos até o fim dessa reflexão, que Deus leva isso muito a sério.
O que o sonho disse exatamente que Deus estava tentando ensinar a ele?
Quem está no controle, certo?
E ele, com a arrogância de um monarca incrédulo afirmou:
“Eu sou autossuficiente!” Vejamos o que acontece a seguir:
Versos 31-37: “As palavras ainda estavam nos seus lábios quando veio do céu uma voz que disse: “É isto que está decretado quanto a você, rei Nabucodonosor: Sua autoridade real lhe foi tirada. Você será expulso do meio dos homens, viverá com os animais selvagens e comerá capim como os bois. Passarão sete tempos até que admita que o Altíssimo domina sobre os reinos dos homens e os dá a quem quer”. A sentença sobre Nabucodonosor cumpriu-se imediatamente. Ele foi expulso do meio dos homens e passou a comer capim como os bois. Seu corpo molhou-se com o orvalho do céu, até que os seus cabelos e pêlos cresceram como as penas de uma águia, e as suas unhas como as garras de uma ave. Ao fim daquele período, eu, Nabucodonosor, levantei os olhos ao céu, e percebi que o meu entendimento tinha voltado. Então louvei o Altíssimo; honrei e glorifiquei aquele que vive para sempre. O seu domínio é um domínio eterno; o seu reino dura de geração em geração. Todos os povos da terra são como nada diante dele. Ele age como lhe agrada com os exércitos dos céus e com os habitantes da terra. Ninguém é capaz de resistir à sua mão nem de dizer-lhe: “O que fizeste?” Naquele momento voltou-me o entendimento, e eu recuperei a honra a majestade e a glória do meu reino. Meus conselheiros e nobres me procuraram, meu trono me foi restaurado, e minha grandeza veio a ser ainda maior. Agora eu, Nabucodonosor, louvo e exalto e glorifico o Rei dos céus, porque tudo o que ele faz é certo, e todos os seus caminhos são justos. E ele tem poder para humilhar aqueles que vivem com arrogância.”
Essa última frase é genial, e será o tema da nossa reflexão:
“E ele tem poder para humilhar aqueles que vivem com arrogância”.
Agora que cobrimos a história do capítulo 4, vamos tentar tirar lições práticas para o nosso contexto atual, afinal de contas, o cenário não é o mesmo para as situações que nós vivemos.
Ou alguém aqui tem experiência com domínio mundial? Certo!
Mas o que iremos perceber, é que apesar da mudança de cenários, o orgulho e a soberba fazem a mesma coisa, seja num líder de império, seja num executivo bilionário, seja num pai de família ou esposo, seja num líder de igreja ou num membro comum. Apesar de não estarmos sujeitos às mesmas tentações, nós pagamos o mesmo preço quando nossos egos são indomáveis.
Romanos 14:11: “Porque está escrito: ” ‘Por mim mesmo jurei’, diz o Senhor, ‘diante de mim todo joelho se dobrará e toda língua confessará que sou Deus’ “.
Deus irá humilhar aqueles que são soberbos.
A questão é: será agora ou será depois?
Felizmente para Nabucodonosor, Deus foi gracioso para lhe humilhar enquanto havia tempo de arrependimento, e ele termina os dias de sua vida reconhecendo a soberania de Deus.
A Bíblia nos dá a mesma chance hoje. Será que iremos reconhecer enquanto ainda é tempo, ou iremos arriscar a nossa eternidade?
A Universidade de Babilônia nos ensina a valorizar o EU, a abraçar conquistas e valorizar aplausos. Se você traçar a história de Babilônia até Gênesis 11, nós chegaremos à cidade de Babel, onde houve o famoso episódio da Torre de Babel. Sabe qual foi a motivação de Ninrode e sua turma para construir aquela torre? Veja comigo em Gênesis 11:4 : “Depois disseram: “Vamos construir uma cidade, com uma torre que alcance os céus. Assim nosso nome será famoso e não seremos espalhados pela face da terra”.
Vamos dar uma olhada em alguns versos e ver o que Deus acha do orgulho:
Temer ao Senhor é odiar o mal; odeio o orgulho e a arrogância, o mau comportamento e o falar perverso. Provérbios 8:13
O Senhor derruba a casa do orgulhoso, mas mantém intactos os limites da propriedade da viúva. Provérbios 15:25
O Senhor detesta os orgulhosos de coração. Sem dúvida serão punidos. Provérbios 16:5
Em sua presunção o ímpio não o busca; não há lugar para Deus em nenhum dos seus planos. Salmos 10:4
Mas ele nos concede graça maior. Por isso diz a Escritura: “Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”. Tiago 4:6
Respondam-me uma coisa, se existe algo em minha vida que Deus odeia, que ele quer destruir, derrubar, que ele abomina, que ele se opõe, que me impede de busca-lo, eu devo cultivar e manter, ou me desfazer rapidamente desse algo?

É interessante que nós colocamos tanta ênfase em pecados que Deus não enfatiza na Bíblia, não me entenda mal, pecado é pecado, mas aquilo que Deus destaca, realmente enfatiza, nós não parecemos dar tanta atenção.
Quer ver outro exemplo? Provérbios 6:16-17 : “Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta: olhos altivos,”. O que são olhos altivos? São pessoas presunçosas, arrogantes. O pecado número 1 na lista de Deus é o orgulho.
E existe um problema muito sério entre nós. Nós acreditamos que o orgulho seja algo ruim, mas pensamos que ele não é tão ruim assim.
EXEMPLO DE DIRIGIR RÁPIDO E DE ASSASSINAR.
Para Deus, Olhos altivos estão na mesma lista que derramar sangue inocente.
Sabe qual é o grande problema do orgulho? Agostinho afirma que “O pecado do orgulho é a mãe que está grávida de todos os outros pecados”.
Romanos 1:21 : “porque, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe renderam graças, mas os seus pensamentos tornaram-se fúteis e os seus corações insensatos se obscureceram.”
Agora veja o que diz o verso 22: “Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos,”.
Não foi essa justamente a maldição de Nabucodonosor?
Foi o orgulho que fez Satanás cair. Foi o orgulho que fez Eva comer o fruto. Foi o orgulho que fez o povo de Babel levantar uma torre. E vez após vez, vemos o padrão se repetir na Bíblia. Foi assim com o povo de Israel ao falhar em representar Deus, foi assim com as entidades religiosas da época de Jesus, e tem sido assim conosco.
E em Lucas 18:10-14, nós vemos o que acontece quando o orgulho entre na igreja: “Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano. O fariseu, em pé, orava no íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este publicano. Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho’. “Mas o publicano ficou à distância”. Ele nem ousava olhar para o céu, mas batendo no peito, dizia: ‘Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador’. “Eu lhes digo que este homem, e não o outro, foi para casa justificado diante de Deus. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado”.
Você consegue perceber como o ORGULHO é um estado completamente ANTI-DEUS? Vai contra toda a essência da graça. Me faz olhar com altivez para a pessoa ao meu lado e agradecer a Deus por ser melhor. Deus deseja pessoas que olhem para cima e digam: “Senhor, comparado contigo eu não sou nada. Obrigado porque você me ama mesmo assim.” E quando eu consigo entender isso, eu olharei para o lado e direi: “Você ao meu lado é tão indigno quanto eu. Se Deus foi capaz de me conceder graça, ele tem graça pra você também”.

The post O Alto custo de um ego indomável | Universidade Babilônia – Ep.06 | Crônicast#006 appeared first on Cristãos Cansados.


Fonte: Cristãos Cansados